Baratas
Habitat das Baratas
Reprodução das Baratas
Espécies Mais Comuns no Brasil
Diversidade de Espécies
Barata Doméstica ou Barata Alemã
Barata Vermelha (Barata de Esgoto)
Barata Australiana
Barata Cascuda ou Barata Grande dos Armazéns
Comportamento Social
Infestação por Baratas
Controle e Prevenção Domiciliar
Principais Danos Causados
Inseticidas para Baratas
Métodos de Controle para Baratas
Combate às baratas sem o uso de Inseticidas
O impacto do uso dos inseticidas no meio ambiente
Riscos da Desinsetização ao Homem
Controle Biológico
Curiosidades sobre as Baratas


 
Os textos contidos neste site possuem direitos autorais. Sua cópia total ou parcial, sem autorização expressa, resultará em medidas judiciais cabíveis.
 

Inseticidas para Baratas

Os inseticidas devem ser evitados ao máximo, devido ao seu dano ambiental e à saúde humana, mas ainda são os principais meios de combate.

São eficazes e práticos de se usar quando se deseja mortalidade rápida. Devem ser aplicadas formulações apropriadas para uso domiciliar e, mais que isso, são necessários cuidados especiais, pois todos os produtos, em maior ou menos escala, são tóxicos. Tratamentos em larga escola devem ser realizados por profissionais qualificados.

Os baraticidas (inseticidas) devem ser aplicados:

Nos lares:
Principalmente na cozinha (embaixo de pias, armários e frestas, fogão, geladeira, despensa). É necessário esvaziar gavetas e armários para que a aplicação seja eficiente. Em eletrodomésticos não se recomenda a aplicação de líquido algum, usa-se um pouco de pó seco, em fina camada;

Em restaurantes, armazéns, depósitos e mercados:
A aplicação deve visar, principalmente, as fendas e locais de armazenagem.

O tratamento inicial deve receber atenção especial, abrangendo todos os locais onde as baratas se proliferam e os esconderijos. Posteriormente, devem ser feitos tratamentos periódicos de manutenção, que podem abranger apenas alguns trechos da residência e são realizados em intervalos que variam de acordo com o local e época do ano. Esses tratamentos podem ocorrer em intervalos de apenas 15 a 20 dias (no verão ou em residências próximas a locais muito infestados), até em prazos de 2, 3, 4 ou mais meses (no inverno ou em locais onde o ambiente não é tão propício).

Deve-se ter extremo cuidado ao aplicar formulações. Algumas devem ser restritas a pessoal especializado, cientes dos perigos que os envolvem e em locais adequados, por se tratar de ambiente doméstico, evitando contaminação de alimentos e outros possíveis danos.

Qualquer que seja o tratamento, antes de seu início todos os utensílios de cozinha e alimentos devem ser retirados, os moradores e animais domésticos devem se ausentar.

A aplicação deve ser feita nos locais onde as baratas se escondem durante o dia: atrás de geladeiras, debaixo de pias, ralos, fogões, móveis, entre outros. Deve também abranger quadros, parte de trás dos móveis, estantes, cadeiras, frestas, bem como batentes de portas.

Os aerossóis de piretrinas são comumente usados para desalojar as baratas e são incorporados a outros inseticidas para aumentar a eficiência do tratamento.

Principais formulações:

1) Pós secos:
Raramente usados, inseticidas com baixa porcentagem de princípio ativo. Um dos mais comuns tem o propoxur (carbamato) como base.

2) Formulações para pulverizações residuais:
Devem ser manuseadas e aplicadas por profissionais.
a) Emulsão aquosa de 2,5% de lambdacialotrina;
b) Pó molhável (PM) e concentrado emulsionável (CE) 25% de cipermetrina;
c) CE 5% de ciflutrina;
d) CE 50% de diclorvós;
e) CE 2,5% de deltametrina;
f) Concetrado de 100% (massa/volume) de diclorvós;
g) Suspensão aquosa microencapsulada de 30% de diazinom;
h) CE 60% de diazinom;
i) CE 98% de diazinom;
j) PM e CE 5% de lambdacialotrina.

• Inseticidas piretróides: lambdacialotrina, cipermetrina, ciflutrina e deltametrina;

• Inseticida clorofosforado: diclorvós;

• Inseticida fosforado: diazinom.

3) Aerossóis:
Contidos em vasilhame (latas), sendo que o conjunto todo recebe o nome de bomba de aerossol. O mercado apresenta as seguintes combinações dos seguintes compostos para uso doméstico: aletrina, permetrina, tetrametrina, piretro, diclorvós, ciflutrina, propoxur, cifenotrina, cipermetrina, aletrina, fenotrina e sinergista (ativador de compostos, o mais comum é o butóxido de piperonila).

• Inseticidas piretróides: aletrina, cifenotrina, ciflutrina, cipermetrina, fenotrina, permetrina e tetrametrina.

• De origem vegetal: piretro.

• Clorofosforado: diclorvós.

• Carbamato: propoxur.

Os gases propelentes são quase sempre propano e butano. O querosene desodorizado e vários outros solventes estão sendo substituídos por outros menos irritantes e menos tóxicos.

Quando aplicados em fendas e buracos, os aerossóis são os mais efetivos porque penetram as valas. Todavia, são mais interessantes os que apresentam efeitos prolongados.

4) Soluções de uso doméstico:
Já foi uma das formulações mais encontradas no mercado, hoje já não é tão facilmente encontrada devido à facilidade apresentada pelas bombas de aerossol.

5) Iscas granuladas:
São de fácil manuseio e aplicação. Relativamente pouco usadas contra baratas, são mais efetivas contra a mosca doméstica. Aparecem em pequenos envelopes, tendo um açúcar como atrativo e às vezes um corante. O inseticida pode ser propoxur (carbamato), triclorfom (clorofosforado), malatiom ou diazinom (fosforados). Também se encaixam nesta categoria as iscas caseiras.

• Porta-iscas: tem atrativos com mel e soja e inseticidas colofosforado. As baratas têm três caminhos de entrada: chegam à isca, alimentam-se e saem pelo caminho usado para entrar, morrem fora da armadilha ou dentro dela.

• Isca gelatinosa: à base de fipronil, o gel tem 0,5g de ingrediente ativo por quilo de isca. Aplica-se uma gota do gel em locais próximos aos esconderijos.


• Juvenóides: regulador de crescimento dos insetos, que inibem a síntese de quitina, componente de seu exoesqueleto.

 
Todos os Direitos Reservados a Baratas .net.br